sábado, 6 de novembro de 2010

Educação Inclusiva


























Diante das demandas existente no que diz respeito aos atendimento educacional especializado, a Escola Padre Cícero está trabalhando nesta unidade com o projeto Inclusão. Uma das ações do projeto, aconteceu uma palestra com os deficientes visuais que fazem parte da ADEVIR( Atendimento aos Deficientes Visuais Irecê e Região).
Discutir a educação de "alunos com necessidades educacionais especiais" implica resgatar o sentido da "Educação Especial", ainda que isto possa desagradar aos que se colocam à frente das discussões sobre "Educação inclusiva", já que, diante de "necessidades educacionais especiais", a educação escolar deve responder com situações de ensino-aprendizagem diferentes das organizadas usualmente para a grande maioria dos educandos, ou seja, das situações comuns de ensino ou ensino regular. (MAZOTTA,1998

Trabalhando Identidade e Alteridade na sala de aula com a música aquarela


sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Da cor Laranja



http://www.infoesp.net/jornal-infoesp/edicao16/irisdos.gif&imgrefurl.






Laranja no arcoires tu estas

Sei que entre o amarelo e o vermelho te encontrarei.
Foi pensando nesta mistura
que na dança das cores entrei
E misturando amarelo com vermelho te encontrei.
E descobri sem querer
que apareces em cada entardece.

Por Rita Rezende

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Atividade de Antropologia e Educação





http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com


Falar sobre identidade não é muito confortável, quando acreditamos que a todo momento nos construimos como pessoa. Neste ponto de vista creio que identidade é uma construção e reconstrução de ideias e ideais.e passamos por essa construção a todo momento em nossas vidas.

A partir da sua própria identidade/identificação analise esta afirmação de Everardo Rocha: “A diferença é ameaçadora porque fere nossa própria identidade cultural”.


Nos tempos atuais temos visto e ouvido falar muito na valorização das diferenças. Emprega-se muito o termo “igual nas diferenças”. Então me questiono se esta equidade existente no termo não descaracteriza a identidade de cada sujeito que busca firmar sua própria identidade.
Nós seres humanos temos a visão de que aquele que não é igual a mim, ou me é indiferente ou me ameaça de alguma forma. Então como conviver com as diferenças sem nos sentirmos ameaçados? Já que o mundo é plural.
Neste sentido assumir o outro ou as suas diferenças que existem e que fazem o mundo esta diversidade de sentimentos, emoções e culturalidade, é dar conta que não somos únicos e que nossa identidade só é construída a partir das nossas vivências. E para ter esta vivência faz-se necessário conviver. E conviver pressupõe dividir ou partilhar com pessoas que são diferentes ou se projetam diferentemente do que esperamos o que torna a identificação mais complexa.
Todo este envolvimento com diferentes culturas distintas, faz com que com sentimos ameaçados. Com este pressuposto, nossa identidade cultural passa a ser de certa forma influenciada e muitas vezes nos deixamos envolver e criamos uma capa sobre os nossos próprios valores. Pois, passamos a discutir alguns aspectos de identidade cultural e percebemos pontos que divergem ou convergem, o que torna a “ameaça” mais consistente e na maioria das vezes recuamos por falta de argumentos ou de idealismo mesmo.
É possível observar com maior clareza essa diferença ameaçadora, quando se trata de questões religiosas. Neste ponto nós nunca conseguimos ouvir o outro falar de suas preferências sem nos colocarmos, ou melhor, sem colocar nossos interesses religiosos em primeiro lugar. Deixar que o outro exponha suas referências religiosas é simplesmente criar um marco maior das diferenças existentes na identidade cultural de cada um. Surgindo assim o primeiro embate ameaçador.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Projeto: Irecê Cidade Digital


Fomos instigados a pensar em políticas públicas de acesso digital, na perspectiva de Irecê tornar-se uma cidade digital, com um projeto que chegasse até as camadas mais carentes da nossa região, o que resultou em pesquisas e muitas leituras a cerca do tema.
A principal ideia para a construção do projeto, parte do princípio da produção colaborativa, entre os membros do grupos, para que tudo emerja com mais clareza e reunissem as melhores ideias de cada grupo, deixando de lado a competividade, para no final, pegar o melhor de cada grupo e formar um só projeto.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Professor Produtor de Material Didático















O professor é catador e recebedor de materiais ou coisas que estão no mundo, E cabe a ele perceber como estas tais coisas se batem com ele, ou o que desperte nele.
Para que tudo venha fluir de forma significativa, faz-se necessário que estas tais coisas que recebo no meu mundo, eu consiga transformar em materiais didáticos.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

GEAC- Pedagogia ao longo da história.

Primeiras impressões sobre História da educação

A diferenciação de educação e pedagogia se dá no que diz respeito à prática educativa, principalmente através da perpetuação entre os seres humanos. A teoria pedagógica é gerada da ação educativa, com a sistematização dos conhecimentos, é onde ocorrem as construções de diretrizes e orientações para o A-C-O-N-T-E-C-E-R da ação educativa. Diante desses fatos a pedagogia se move, através do movimento da educação que é a própria prática.

Gelit - Anarquistas graças a Deus

Conhecer a trajetória dos Gattai me fez ver a riqueza dos detalhes que uma história de vida pode ter, ou simplesmente quando contada com simplicidade e sem muitos arrudeios para falar de alguns fatos que devem ser narrados, mas sem dar muita ênfase, de forma que o leitor compreenda sua essência.
Depois de ler alguns capítulos percebi que no meu memorial faltava ainda detalhar algumas passagens que não decorri com clareza, e até mesmo ajustar outros parágrafos que ficaram extensos e sem muita clareza.
Sei que minha escrita não chega a excelência da de Zélia, no entanto já começo a perceber mascas e características próprias da minha escrita, como um pouco de sarcasmo, que uso durante minha narrativa.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Relatório da correção do projeto




Diante do parecer da professora Bonilla, fomos rever inúmeras questões relacionadas ao projeto. Nestes encontros realizados nos dias 23 e 26/11/2009, totalizando assim carga horária de 4 horas. Estiveram presentes as cursistas Gleivia Macia, Paula Francinete, Geralda Francisca, Maria Rita Rezende e Cleidineia.
Fizemos a reelaboração da justificativa, segundo as orientações trazidas na correção do projeto. Tivemos muitas dificuldades na organização e laboração das atividades de pré- implantação e implantação, no entanto, com todas as dúvidas já postamos no blog.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Produção livre do ciclo III

Super diário

Super fantástico ciclo!
Que bom contar contigo
E viver emoção!
Vai começar novamente
Escrever alegremente
Mais uma produção.

Todas as cursistas já sabem
Que toda atividade
Envolve educação
Até quem tem mais cuidado
É bom ficar ligado
Na reflexão

Sou feliz,
Por isso estou aqui,
Também quero viajar na produção
Com meu diário!!
O ciclo fica bem mais divertido


Super fantasticamente
As palavras dão asas à imaginação
É como Gelit e Gecin
Aprender que faz a gente
Viver emoção.

Vamos fazer a faculdade
Tornar realidade
Na nossa profissão

Vamos fazer as cursistas
Viver alegremente
Com suas produções


Sou feliz,
Por isso estou aqui,
Também quero viajar na produção
Com meu diário!!
O ciclo fica bem mais divertido

Super fantástico em nosso curso
Viajar na net
Ficou mais divertido.

Superdiário!


(esta paródia foi feita por Rita, Rosa e Gracinete)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Educação Inclusiva

As oito horas passados com o professor João Danilo foram poucas para um tema tão importante e que está no alge das discussões no momento. Falar em educação inclusiva é fazer um reboliço dentro das escolas, poia o discurso não chega nem perto do que de fato é necessário se fazer na prática.

Alguma curiosidade sobre necessidades educacionais especiais:

  • Existem 118 tipos diferentes de síndromes detectadas
  • Na lingua de sinais não se faz uso dos conectivos
  • devemos fazer sempre auto avaliação das capacidades que o aluno deficiente consegue alcançar
  • 70% dos casos de deficiênciapoderiam ser evitadas com medidas preventivas
  • è papel do apoio pedagógico alfabetizar em brailer , não do professor da sala regular
http://4.bp.blogspot.com/_a4hraE7tPgM/So1tefa_UvI/AAAAAAAAACI/RGUZEYUHWOQ/s400/difereana.jpg> Acesso em 17/11/09